1

A AULA INVERTIDA E O ENSINO REMOTO



Educação: Sala de Aula Invertida e Ensino Remoto 


Muita gente me pergunta sobre o uso de metodologias ativas durante o distanciamento social imposto pela pandemia do coronavírus.

Acredito que a Sala de Aula Invertida seja a metodologia ativa mais conhecida pelos professores e a mais utilizada também. O que muita gente não percebe é que ela pode continuar sendo a queridinha durante as aulas remotas.

Para quem não está familiarizado com o termo, vamos entender um pouquinho? Normalmente, nas aulas presenciais, a sala de aula tradicional funciona de um modo bem determinado: explicação do conteúdo (aula expositiva) + atividades de fixação/para casa (para que o aluno retenha o conteúdo explicado). O professor prepara sua aula pensando dentro dessa lógica e dedicando grande parte do tempo à exposição/ explicação do conteúdo. O tempo restante é dedicado aos exercícios. Caso não sobre tempo para realizar os exercícios ou para a correção dos mesmos, a tarefa é nomeada como "para casa" e em outra aula será concluída/corrigida.

A lógica da metodologia ativa "Sala de Aula Invertida" é promover uma aula mais rica, no sentido da troca de conhecimentos, ampliando as possibilidades do saber, as discussões, valorizando os questionamentos e a curiosidade. O aluno participa muito mais do que na aula tradicional, onde é quase que apenas um ouvinte e tem pouca oportunidade de falar. Também não tem muito tempo para refletir sobre o assunto ou formular questões mais profundas.


Mas porque o nome "Sala de Aula Invertida"?

É muito interessante pensar no motivo dessa metodologia receber esse nome! O que exatamente será invertido?

O que era feito depois (atividades de fixação/para casa) passa a ser feito antes e o que era feito antes (aula explicativa) para a ser feito depois. Compreendeu?


Vamos conversar um pouco mais?

Ao introduzir um conteúdo, o professor cria sua aula invertendo a lógica tradicional: antes de explicar o conteúdo vai, através de cuidadosa curadoria, selecionar materiais de diversas fontes, tipos e gêneros (textos escritos, reportagens, artigos, histórias, textos verbais e não verbais como vídeos, podcasts, imagens, links interessantes, fotos) sobre o assunto que pretende abordar e disponibilizar para seus alunos da forma como julgar mais pertinente. Pode disponibilizar todo o material para todos os alunos, separar os materiais por grupos ou outras formas definidas por ele.

O aluno, por sua vez, recebendo todo esse material, (que estará bem interessante pois foi selecionado com muito cuidado e dedicação, pensando exatamente nele) vai estuda-lo, explorá-lo e fazer conexões, formulando questionamentos com propriedade, aguçando a sua curiosidade e habilidade crítica.

No momento da aula, daquele encontro com o professor, ao invés de ouvir uma exposição de conteúdo, os alunos terão a oportunidade da troca, a apresentação das questões que eles formularam e aula se tornará uma grande conversa que ampliará a rede neural dos estudantes e com certeza oportunizará múltiplas conexões.

No momento desse encontro com professor, a dinâmica da aula pode ser a mais diversa possível: um grande grupo de conversa, vários grupos com propostas diferentes, onde o aluno vai passando de um para outro e cumprindo etapas de uma proposta, ou seja, outras metodologias ativas podem ser encaixadas aqui, fazendo do aprendizado algo memorável, o que é objetivo de todo educador.


E como isso pode ser aplicado no ensino remoto?

Agora ficou simples responder! Todo o material selecionado pelo professor curador será enviado antes ao aluno, utilizando-se das ferramentas digitais disponíveis, que vão desde um e-mail até o uso de aplicativos. Posteriormente, na aula agendada para acontecer ao vivo, um debate será mediado.

Ao enviar os materiais com antecedência, o professor também pode sugerir/solicitar a execução de alguma tarefa que será apresentada na aula ao vivo. As tarefas podem ser diferentes para diferentes alunos, proporcionando uma troca mais rica.

No momento do encontro, a apresentação dos questionamentos elaborados pelos alunos é muito importante, para que fiquem evidenciadas as dúvidas e o professor possa intervir efetivamente.

Como estamos trabalhando o processo de ensino e aprendizagem de maneira remota, à medida que forem aparecendo perguntas, os alunos podem ir enviando, antes mesmo da aula ao vivo, e o professor pode gravar um "vídeo tira-dúvidas". Tudo isso fará com que o momento do encontro privilegie uma grande produção de conhecimento e não seja dedicado somente à exposição da matéria.

Para entender mais:

- Quando o professor recebe as dúvidas antes da aula ao vivo e quando ele, no momento do encontro, recebe os questionamentos levantados, ele está exercendo a escuta ativa e conhecendo as demandas de sua turma. Assim pode oferecer um ótimo feedback.

- No momento do encontro, ao conversar e ouvir, o professor conecta a teoria e a prática, dando sentido ao conhecimento e fazendo ligações entre os diversos materiais.

- A postura do professor é ativa na medida em que ele auxilia quem tem dúvidas e movimenta a turma na busca do conhecimento.

- Quando o professor usa essa metodologia, está ensinando seus alunos a aprender e a terem desejo pela aprendizagem.

- O aluno atua como protagonista do seu conhecimento, pois busca entender e explicar com suas próprias estratégias, orientado pelo professor.

- O aluno desenvolve uma importante habilidade que é a de ler em rede, já que tem acesso a diversos tipos de materiais e procura o sentido entre eles.

- A concentração fica mais apurada. Algo importante para essa geração hiperconectada!

- Enquanto no modelo tradicional o aluno apenas responde às questões propostas, com essa metodologia ele formula seus próprios questionamentos.

- Na Sala de Aula Invertida, o tempo da parte expositiva é transferido para dúvidas e debates sobre o material.


O momento vivido atualmente é super propício ao uso dessa metodologia ativa. Você já está utilizando? Que tal começar?

Quem é a nova Colunista da Folha de Florianópolis na Coluna de Educação: "Isabela Toleto" é Metodologias Ativas, Diretora Escolar, Coordenadora Pedagógica, Pedagoga,  Agile Coach, Palestrante.